Mês: outubro 2019

Posso ser aposentado e pensionista ao mesmo tempo?

Aposentado e pensionista são duas categorias de benefícios previdenciários. Cada uma tem suas características, mas ambas podem coexistir em um mesmo CPF.

aposentados_e_pensionistas_diferencas_e_consistencias
Fila em agência do INSS: diferenças entre aposentados e pensionistas (Imagem: Folhapress)

Pensionista e aposentado são duas categorias de benefícios previdenciários.

Cada uma tem suas características, mas ambas podem coexistir em um mesmo CPF. Entenda como funcionam as regras e as diferenças entre as modalidades.

Quando um cidadão contribui com o INSS mensalmente, ele se enquadra na condição de segurado. O aposentado é aquele que parou de trabalhar e recebe sua aposentadoria (por idade, invalidez ou tempo de contribuição). Por fim, o pensionista é o beneficiário do benefício de pensão por morte.

Atualmente, o número de aposentados e pensionistas no Brasil corresponde a 14,2% da população.

Entenda as diferenças

O aposentado é o cidadão que recebe o benefício da aposentadoria. Há três modalidades possíveis atualmente:

  • Por idade: homens de aposentam com 65 anos e mulheres com 60;
  • Por tempo de contribuição: homens se aposentam após 35 anos de trabalho e mulheres depois de 30 anos;
  • Por invalidez: quando o trabalhador fica permanentemente incapaz de exercer uma atividade laboral.

  • Já o pensionista é o dependente de um segurado do INSS falecido, por isso tem direito à pensão por morte. Esse grupo de beneficiários pode ser dividido em três categorias:
  • Dependentes de 1ª classe: cônjuge ou filho menor de 21 anos (ou incapaz);
  • Dependentes de 2ª classe: pais;
  • Dependentes de 3ª classe: irmão não emancipado, menor de 21 anos ou incapaz.

Os dependentes que se enquadram na primeira classe não precisam apresentar documentos que comprovam a dependência financeira para receber a pensão. Por outro lado, as demais categorias exigem uma comprovação de dependência econômica com relação ao segurado falecido.

As classificações de pensionista e aposentado apresentam diferenças, mas também contam com semelhanças. Ambos são beneficiários do INSS e exigem o cumprimento de tempo de carência.

No caso da pensão por morte, o tempo de carência é de 18 meses de contribuição. Já a aposentadoria exige no mínimo 180 contribuições mensais (exceto a aposentadoria por invalidez).

Posso ser pensionista e aposentado ao mesmo tempo?

Sim, um mesmo cidadão pode ser pensionista e aposentado do INSS, ou seja, receber os dois benefícios ao mesmo tempo.

Uma mulher aposentada que acaba de ficar viúva pode dar entrada na pensão por morte do seu marido. No entanto, se houver um segundo casamento e o novo cônjuge falecer, ela não pode acumular duas pensões (precisa escolher o benefício mais vantajoso).

Um mesmo cidadão também não pode acumular dois tipos de aposentadoria. Além disso, ele precisa se preocupar em realizar a prova de vida todo ano, caso contrário, corre o risco de perder o benefício.

O que vai mudar com a reforma da previdência?

Com a reforma da previdência, a pensão por morte não será mais integral. O benefício começará em 60% do valor e terá uma redução no caso do dependente já ser aposentado. As mudanças só serão válidas para os futuros pensionistas, ou seja, não afetam as pensões que já foram concedidas pelo INSS.



http://www.riaam-minas.org.br/2019/10/28/pensao-por-morte-pode-ser-menor-que-um-salario/

(* Com informações do Blog.INSS e 'Jornal Contábil' - Leia mais no links abaixo


Ler mais

Pensão por morte pode ser menor que um salário

Nova regra da pensão por morte diz que o valor não pode ser menor que um salário mínimo e começa em 60% do salário de contribuição

pensao_por_morte_menor_que_salario_descaso_reforma_previdencia
Tramitação demonstra descaso com o pagamento da Pensão por Morte (Imagem: Pixabay)

A Reforma da Previdência foi à votação ontem no Senado e, embora houvesse a possibilidade de garantir o salário mínimo na pensão por morte de servidor, essa possibilidade caiu por terra. O Cidadania voltou atrás e retirou o destaque. No texto-base aprovado por 60 votos a 19, em 2ª discussão, esse piso só está garantido para contribuintes do Regime Geral de Previdência, o INSS. A expectativa agora é de que a PEC paralela, que entrará em discussão hoje, garanta que o benefício não seja inferior ao mínimo.

Confira os detalhes da tramitação

Proposta do governo: pensão por morte começaria em 60% do salário de contribuição, aumentando 10 pontos percentuais por dependente até chegar a 100% para cinco ou mais dependentes. Retirada da pensão de 100% para dependentes com deficiências intelectuais ou mentais. Apenas dependentes com deficiências físicas receberiam o valor máximo.

Proposta aprovada pela Câmara: pensão de pelo menos um salário mínimo para beneficiários sem outra fonte de renda, sem exigência de comprovação de renda dos demais membros da família.

Pagamento de 100% para beneficiários com dependentes inválidos (deficiência física, intelectual ou mental) e para dependentes de policiais e agentes penitenciários da União mortos por agressões em serviço e qualquer circunstância relacionada ao trabalho, como acidentes de trânsito e doenças ocupacionais.

Proposta aprovada pelo Senado: nenhuma pensão poderá ser menor que um salário mínimo, em qualquer circunstância. Essa parte do texto não volta para a Câmara

PEC paralela: cota dobrada, de 20 pontos percentuais, na pensão por morte para os dependentes de até 18 anos de idade. Dessa forma, a pensão será de 100%, por exemplo, no caso de uma mãe com dois filhos menores de idade. Possibilidade de acúmulo de pensões em caso de dependente com deficiência intelectual, mental ou grave.

Para advogada, "é muita crueldade"

Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), alerta para o fato de entre uma proposta e outra - a aprovada e a que vai entrar em discussão -, caso ocorra o óbito do servidor, o beneficiário será contemplado com um valor de pensão menor que o mínimo.

"Embora a PEC paralela corrija, os dependentes de quem morrer entre uma proposta e a outra, terá o direito pela PEC 6 e não da paralela", diz. E acrescenta: "É muita crueldade".


http://www.riaam-minas.org.br/2019/07/25/morte-e-burocracia-do-inss/

  • (* Com informações de Martha Imenes, de 'O Dia' e site da Exame - Confira nos links abaixo

Ler mais

Precisa de auxílio-doença? Fique atento!

Governo pode transferir para empresas obrigação de pagar auxílio-doença de funcionários

mudancas_pagamento_auxilio_doenaca
Mudanças no pagamento do auxílio-doença

(Por Magali Simone - Especial para a RIAAM-Minas)

Precisa de auxílio-doença? Na tentativa de cumprir a PEC que impôs um teto máximo para os gastos governamentais, a União pode apoiar projeto do deputado Fernando Rodolfo (PL-PE) que incluiu na Medida Provisória 891- que trata da antecipação do 13º para aposentados e pensionistas do INSS- artigo que obriga as empresas a pagarem o auxílio-doença de seus funcionários .

O parlamentar justifica que a mudança eliminaria o risco de o empregado ficar sem salário enquanto aguarda a perícia do INSS, como acontece hoje, em boa parte dos casos. Na regra atual, todo empregado que ficar mais de  15 dias afastado do serviço por licença médica deve receber seu salário pela Previdência.

Atenção com o primeiro salário

Mas boa parte dos trabalhadores ficam sem receber o primeiro salário, uma vez que o pagamento só é feito após perícia médica agendada em média 40 dias após a solicitação. Ainda conforme a sugestão de Rodolfo,  as empresas não terão prejuízo porque o gasto com o auxílio-doença será abatido no pagamento de impostos.

O fato de o médico pago pela empresa ser responsável por fazer a perícia – o que poderia em tese, prejudicar o empregado – não pode, segundo o parlamentar, ser um empecilho para a aprovação. Rodolfo alega que  caso não concorde com o laudo médico, o funcionário pode entrar com recurso judicial.

A mudança sugerida pelo parlamentar, ainda segundo informações do jornal Estado de São Paulo, não deve afetar microempreendedores e  pessoas físicas que contratam empregados domésticos. Nestes dois casos, deve continuar valendo a regra atual.



Ler mais

Reforma da Previdência: prejuízos e instabilidade

Senado aprova, em segunda turno, a reforma da Previdência. Representantes de aposentados e pensionistas lamentam e avaliam os prejuízos A aprovação da reforma da Previdência foi avaliada como “lamentável” e “preocupante” por representantes de movimentos de defesa de aposentados e pensionistas. O projeto, tido como um dos principais do governo Jair Bolsonaro, foi aprovado no
Ler mais

Cinco erros sobre a sua aposentadoria

cinco_erros_para_evitar_e_ter_aposentadoria_saudavel
Conselhos para uma aposentadoria saudável (Imagem: Pixabay)

Quais são os cinco erros sobre aposentadoria que a maioria da população ainda comete? Muita gente não pesquisa ou não se aprofunda o suficiente quando o assunto é a própria aposentadoria. São decisões impulsivas, por acreditarem em mitos ou em narrativas de outras pessoas.

Veja aqui cinco erros que você deve evitar para desfrutar de uma aposentadoria saudável.

  1. Ainda sou muito jovem para pensar em Aposentadoria;
  2. Calcular errado a idade máxima de vida;
  3. Cuidar da Aposentadoria não é só se preocupar com o dinheiro;
  4. Em caso de problemas de saúde mais grave, vou recorrer ao atendimento público.;
  5. Vou viver de juros das minhas aplicações

http://www.riaam-minas.org.br/2019/10/04/seis-direitos-garantidos-pelo-estatuto-do-idoso/

Os cinco erros mais comuns sobre aposentadoria

Ainda sou muito jovem para pensar em Aposentadoria

O ser humano, por natureza, não é muito bom para pensar a longo prazo: para nós, um ‘futuro distante’ significa no máximo 5 ou 10 anos do presente! Tanto é verdade que existem pessoas com 40 ou 45 anos que ainda acham que não precisam pensar na velhice.

Calcular errado a idade máxima de vida

A nossa expectativa de vida está aumentando cada vez mais, à medida que novos avanços na medicina curativa e preventiva aparecem. Por isso, não seja pessimista na hora de calcular até que idade irá viver!

Cuidar da Aposentadoria não é só se preocupar com o dinheiro

Guarde dinheiro. Mas preocupe-se também em dar um sentido, um significado especial e motivador para continuar levando uma vida feliz.

Em caso de problemas de saúde mais grave, vou recorrer ao atendimento público

Isto pode realmente ser uma estratégia correta para outros países mais desenvolvidos. Mas no nosso país, infelizmente a realidade é outra.

Vou viver de juros das minhas aplicações

Esta não deve ser a única estratégia a ser adotada. O ideal é a diversificação: ter alternativas diferentes para se atingir o objetivo final.



Ler mais

PGR pode contestar reforma da Previdência

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou que alguns trechos da reforma da Previdência podem ser questionados no Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o PGR indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), algumas exigências impostas pelas mudanças podem ser injustas para determinadas carreiras, “especialmente aquelas insalubres e perigosas”. “Se a PGR entende que há algum vício
Ler mais

Corrida pela aposentadoria

Reforma da Previdência: INSS vê ‘corrida’ pela aposentadoria, e nega mais da metade dos pedidos Detectada uma ‘Corrida pela Aponsentadoria’. O receio de ser prejudicado pela reforma da Previdência tem feito muitos brasileiros correrem às agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Mas, ainda sem direito à aposentadoria, a maioria tem visto seus pedidos
Ler mais